“Com crise se cresce”: investimento em marketing faz empresas transformarem vinheta em realidade

January 26, 2016     / / / / /

Em tempos de crise, garantir a sobrevivência do próprio negócio é uma questão de prioridade, ainda mais em meio a uma concorrência quase sempre acirrada. E, para um incontável número de empresários, este é um período em que até mesmo as atividades mais facilmente administradas na sua rotina acabam se transformando numa verdadeira “missão”, daquelas que passam a exigir “malabarismos” de todos os lados! No entanto, a verdade é que tamanho desafio não se estende igualmente a todas as áreas, e é aí que a antiga vinheta “com crise se cresce”, exibida pelo SBT nos idos de 1999, ressurge como um fato incontestável para empresários de diversos setores.

Prova disso pode ser encontrada em diversas reportagens divulgadas por diferentes veículos de comunicação nos últimos meses. Em julho, por exemplo, uma das matérias publicadas pela Exame.com (seção dedicada às Pequenas e Médias Empresas (PME)) chamou atenção não apenas para os 20 negócios que crescem até na crise, como também para as maneiras como estes alcançam tal feito. Entre as estratégias adotadas, a reportagem destaca a renegociação de preços com fornecedores, a diversificação de produtos e o investimento em marketing, capazes de promover até mesmo o dobro do faturamento dessas empresas em tempos de recessão.

Segundo as análises apresentadas, não há dúvida de que dar conta desses três valiosos requisitos tende a ser algo decisivo para alavancar o desempenho de setores distintos. Porém, à parte o cuidado com todo o conjunto, muitos dados fazem refletir principalmente no quanto o investimento em marketing, sobretudo o digital, tem se revelado cada vez mais como um daqueles recursos indispensáveis quando o assunto é potencializar resultados.

Vejamos os exemplos:

• De acordo com a Exame, uma das empresas que vem crescendo durante a crise atua na gestão de comércio eletrônico e trabalha com e-commerce e software em nuvem. Visando a um faturamento de 7 milhões de reais em 2015 (mais do que os 4 milhões resultantes de 2014), a iniciativa dos seus empreendedores consistiu num programa de parcerias com agências digitais;

• Outro exemplo diz respeito a uma parceira do Google que presta serviços de gestão de informação e conteúdo, e que também apostou em ações de marketing para faturar 3 milhões de reais a mais do que no ano passado;

• Já uma terceira empresa, que auxilia médicos na gestão de prontuários dos seus pacientes, assegura que, como o investimento em marketing diminuiu na maioria das empresas, foi justamente nisto que os seus responsáveis apostaram para ganhar visibilidade;

• E, entre outros exemplos que ainda podem ser elencados, encontra-se uma franquia de óculos que, no propósito de triplicar em 2015 o faturamento de 10 milhões de reais em 2014, também se voltou ao marketing segmentado.

Diretor de planejamento da LinkBrand, agência e consultoria especializada em marketing digital localizada na região oeste de São Paulo, Eduardo Godoy explica o porquê do investimento em marketing digital ter um papel tão relevante para a maximização dos negócios e, particularmente, para o atual contexto econômico brasileiro, conforme os exemplos demonstram. Com mais de dez anos de experiência nesse segmento e clientes cujos empreendimentos variam, desde cursos e consultorias até clínica para tratamentos capilares e SPA Odontológico, ele assegura: “A possibilidade de mensuração rápida, o custo-benefício e o potencial de fortalecimento da marca fazem do marketing digital uma das melhores estratégias de crescimento, principalmente na crise”.

A esse propósito, aliás, a própria LinkBrand pode ser mencionada para somar às estatísticas das empresas que, graças ao marketing digital, prosperam em tempos difíceis. Sem divulgar o seu faturamento anual, mas contemplando um crescimento significativo de 2014 para cá, a agência fechou muitos novos contratos em 2015 e precisou disponibilizar novas vagas para aumentar a composição da sua equipe, além de ampliar parcerias.

Por fim, quem também retoma a importância do investimento em marketing é ninguém menos do que a mais conceituada revista de negócios e economia do mundo. Em matéria publicada no último mês de setembro sob o título “10 dicas para fazer seu negócio crescer na crise”, a Forbes registra o quanto a estratégias de marketing podem conferir à marca um lugar de destaque no mercado, proporcionando novas receitas lucrativas para a corporação. E é nesse sentido que Godoy arremata, enfatizando o poder do marketing digital: “O marketing tradicional já é digital. As empresas que tomarem essa consciência e apostarem no meio certamente terão maior probabilidade de conquistar um lugar ao sol, sobretudo em tempos de tanta instabilidade”.

  /